Ser Irmã da Apresentação de Maria

 

Na história da França do século XVIII, quando todos os antigos mosteiros estavam em ruínas, uma mulher humilde, Maria Rivier, com as suas quatro companheiras, abriu uma pequena escola em Thueyts no ano de 1794. Desde o início, Maria Rivier pretendia dedicar-se juntamente com as suas companheiras, ao serviço da evangelização e à prática da caridade. Ela continuou a convidar mulheres para se juntarem a ela: “Mettons-nous ensemble…”.

A Congregação das Irmãs da Apresentação de Maria foi oficialmente fundada a 21 de novembro de 1796. Maria Rivier e as suas primeiras companheiras, consagraram-se a Deus, sob a proteção da Bem-Aventurada Virgem Maria, assim como a Congregação, as suas alunas, as suas casas e as suas obras (p. 109 Mourret).

As primeiras Irmãs da Apresentação de Maria foram: Maria Rivier (Fundadora), Thérèse Chaudanson, Marie Eyraud, Jeanne Delubac e Martine Teston.  

Somos Irmãs da Apresentação de Maria chamadas a viver, no coração do nosso mundo, a nossa missão enquanto pessoas consagradas, reconhecidas pela Igreja. A nossa identidade tem os seus fundamentos em dois mistérios: Apresentação de Maria no Templo – mistério da Presença de Deus e a Apresentação de Jesus no Templo – mistério da oferenda de Jesus e de sua Mãe (D 3).

Ao procurarmos viver estes dois mistérios no quotidiano das nossas vidas, refletimos aquilo que Jesus e Maria viveram tão intensamente: o espírito de adoração, de oferenda de si e de compaixão.

 

 

 

 

 

Ser Irmã da Apresentação de Maria...

é viver um espírito inteiramente interior, fundado no espírito de Jesus Cristo (C 3). Tudo para Deus! Tudo pelo Santo Amor! Eis a expressão que encarna o sentido e a razão de ser da vida de uma Irmã da Apresentação de Maria, no mundo de hoje.

Ser Irmã da Apresentação de Maria...

é viver em comunidade fraterna. Formamos uma mesma família, pondo tudo em comum, e temos um só coração e uma só alma em Jesus Cristo (C 81).

Ser Irmã da Apresentação de Maria...

é viver um zelo apostólico que não conhece fronteiras, nem de raças, nem de povos. Enquanto houver um canto de terra em que Jesus Cristo não seja conhecido e amado, as filhas da Mulher Apóstolo não podem ficar tranquilas (C 109).

Ser Irmã da Apresentação de Maria...

é viver como Maria na presença de Deus no Templo da Apresentação. Estamos no coração do mistério do Templo.